Vida sexual depois dos 40

Vida sexual depois dos 40

Na juventude tanto homens quanto mulheres desfrutam do vigor de seus corpos, da grande quantidade de libido disponível e facilmente liberada e da disposição sexual. Conhecem seus corpos desde a adolescência e agregam aquilo que suas experiências sexuais o fizeram experimentar.

Por volta dos 40 anos começam a surgir incômodos, a relação sexual já não é tão satisfatória, a frequência reduz drasticamente, os casais não falam de suas dificuldades, as frustrações interferem no relacionamento, e muitos casais chegam a se separar neste momento.

Mas porque isso acontece por volta dos 40? Porque essa insatisfação é tão frequente? O que fazer para voltar a ter uma vida sexual satisfatória?

Assim como na adolescência, em que nossos corpos passam por grandes modificações hormonais, orgânicas, estruturais. Entre os 40 e 60 anos outras mudanças também ocorrem, porém menos drásticas do que na adolescência. Poucas pessoas notam essas modificações e muitas não relacionam a elas as alterações que ocorrem no corpo e na vida.

A menopausa e a andropausa não são determinantes para o fim da atividade sexual, mas é um período em que a pessoa precisa se readaptar a seu próprio corpo e ritmo de funcionamento.

A andropausa, atualmente denominada Deficiência Androgênica do Envelhecimento Masculino, é caracterizada pela diminuição lenta e gradativa dos níveis de testosterona. Seus principais sintomas são diminuição no desejo sexual, alteração no desempenho e na frequência sexual, diminuição na qualidade das ereções, ejaculação precoce, cansaço físico e mental, insônia, alterações no humor, perda de massa muscular, aumento de gordura da região abdominal, perda de pelos e alteração da textura da pele, que fica mais fina e em alguns casos pode apresentar osteoporose. Doenças concomitantes e medicações também podem influenciar no desempenho sexual. O tratamento melhora os sintomas e a qualidade de vida. É recomendável consultar o andrologista para avaliação clínica e o psicólogo para tratar casos associados de estresse, depressão e dificuldades no relacionamento.

A menopausa também caracterizada pela redução dos hormônios sexuais femininos, mas de uma forma mais acentuada que no homem. É demarcada pelo término da menstruação e assim da fase reprodutiva. É uma fase de modificação no organismo e podem aparecer os seguintes sintomas: suores noturnos, insônia, ondas de calor, menor desejo sexual, irritabilidade, depressão, dor durante a relação sexual, ressecamento vaginal, diminuição da atenção e memória. O tratamento ginecológico auxilia da redução dos sintomas e o acompanhamento psicológico busca fazer com que a mulher se relacione da melhor forma possível com as modificações que estão ocorrendo em seu corpo e em sua vida.

Essas modificações costumam afetar o casal e a adaptação precisa ser de ambos. O companheirismo e o diálogo são fundamentais. Uma terapia de casal pode trabalhar essas questões contemplando todo o contexto vivenciado pelo casal.

Artigos relacionados:

Relações sexuais com qualidade
Fertilidade Feminina
Vaginismo
Os segredos de um bom relacionamento
Como surgiu o texto “Como as redes sociais podem interferir na vida das pessoas?”

14 comentários

  1. cleonice

    gostaria de saber,o por que so depois dos 40 eu sinto vontade de fazer amor,por que isso não aconteceu,quando mais nova?

  2. Olá Cleonice, possivelmente isso não ocorreu antes por uma série de coisas que influenciavam sua vida e que foram se modificando com o tempo, sua relação com o parceiro, com o sexo, com você mesma, seu amadurecimento e outras tantas coisas que fazem parte da sua vida hoje.

  3. Sidney Barros

    Doutora Ana, Meu caso acho estranho, Sou casado ha 22 anos, tenho 56 Anos, minha frequência sexual era de 8 a 12 vezes por més, faz alguns meses que minha frequência passou de 25 a mais de 30 vezes por més e a qualidade muito superior, isso tem explicação?

    • Sidney, isso pode ter algumas explicações, para encontrar a mais provável é preciso avaliar o que mudou na sua vida e que está possibilitando este desempenho. Caso isto cause algum desconforto procure um urologista para investigar uma possível causa orgânica ou disfunção e consequentemente o tratamento.

  4. MARYANA ESTEVES

    BOA NOITE DRA!
    MEU CASO É DELICADO, MEU NAMORADO TEM 48 ANOS, E EU TENHO 22 ANOS. NOSSO RELACIONAMENTO SEXUAL NAO EXISTE COMO ANTES; NO COMEÇO ELE ERA ATIVO, DEMORAVA A EREÇÃO MAS DAVA CERTO;QUASE TOQUEI NO ASSUNTO , MAS ELE FICOU DOENTE UNS TEMPOS ATRAS, E EU NAO QUIZ FALAR SOBRE ISSO. ACHO QUE ELE ESTA COM ANDROPAUSA, SUSPEITO EU. SENDO UM EMPRESARIO TRABALHA DEMAIS,CHEGO EM SEU ESCRITORIO MAIS OU MENOS AS 22:00HORAS E ELE AINDA ESTA TRABALHANDO. OQ UE DEVO FAZER? COLOCAR ROUPAS E ESTIMULAR ELE AO SEXO? SERIA QUALQUER HORA OU DEIXO ELE DESCANSAR PRIMEIRO?

    • Maryana,

      Seria interessante que vocês pudessem conversar a respeito, lembrando que é um assunto que deve ser abordado com muito tato.
      Esta alteração no desempenho pode ser consequência de vários fatores, desde o stress profissional até algo orgânico.
      Avaliem se a vida sexual está insatisfatória para ambos e o que vocês podem, contribuir juntos, para a melhora.

      Abraço

  5. Olá, tenho 42 anos e o meu desejo sexual diminuiu e já não consigo acompanhar o ritmo do meu marido que quer a toda a hora. Sinto dor durante a relação as vezes e ele diz que já não o quero. O que fazer?

    • Olá Maria,

      Uma das coisas a se fazer é pensar sobre como está sua relação com seu marido, muitas vezes a insatisfação na relação conjugal se manifesta primeiro na cama, como um sinal para cuidar daquilo que já não anda bem.
      Outra possibilidade é você consultar um ginecologista para fazer seus exames, verificar seus níveis hormonais e se por acaso você está tendo algum ressecamento que pode desencadear a dor durante a relação.
      Dependendo da conclusão a que você chegar, procure o tratamento adequado.

      Abraço

  6. Cristina

    Boa noite!
    Tenho 44 anos e sempre tive uma vida sexual muito agradável, mas de uns meses para cá, tenho diminuído a vontade de fazer sexo e apresentado pouca lubrificação vaginal e quando atinjo o orgasmo não e tão bom como antes.
    Obrigada pela atenção.

    • Boa noite Cristina,

      Com a sua idade é possível que esta mudança esteja relacionada às mudanças hormonais. É aconselhável consultar seu ginecologista. Caso não seja esta a causa é preciso investigar se algo na sua relação está interferindo na sua satisfação sexual.

      Abraço

  7. marcelo

    Dr tenho 40 anos e a 2 meses tenho dificuldade na ereção que dura pouco. vontade tenho mas a ereção não é constante poderia ser antropausa.

  8. Benedita

    Dr Ana, eu fiquei muito tempo solteira e sozinha por causa da minha religião e agora arranjei um namorado, me sinto muito bem sexualmente, como se fosse novinha. Tenho 41 anos. Obrigada.

Deixe uma resposta