Artigos e Publicações

A criança adotada já vem com sua história

O processo de adoção, na maior parte das vezes é longo e demorado. Você já se perguntou o que acontece com a criança durante esse processo?

Podemos supor que uma criança tenha sido fruto de uma gravidez indesejada, que por essa razão a gestante possa ter sido descuidada com sua saúde e com o pré-natal, o que pode ou não influenciar nas condições de saúde da criança. Após a falta de cuidado pode haver o abandono, algumas mulheres deixam seus bebês já nos hospitais, se recusando a voltar para casa com eles. Ou como já tivemos notícias o abandono pode ser ainda mais cruel, como os casos em que bebês que são deixados em lixeiras, rios, praças, ônibus, etc. Sendo encontrados com vida os bebês são encaminhados para hospitais e para o conselho tutelar, sendo posteriormente abrigadas, até que se decida qual o melhor destino para elas.

Em geral as crianças que são levadas para o convívio familiar, podem ser negligenciadas pelos cuidadores, podem sofrer maus tratos, agressões e abusos. Nestes casos podem haver a intervenção do conselho tutelar e outras esferas legais para apurar fatos, resguardar a segurança do menor e garantir a punição dos acusados.

Após a intervenção do conselho tutelar há a tentativa de reinserir a criança em sua família de origem, para que seja cuidada por tios ou avós. O que não garante que a situação será diferente, mas é uma chance para que os vínculos não sejam rompidos. Se esta não for uma opção viável a criança será institucionalizada. Viverá em um abrigo, com outras crianças com históricos também muito difíceis. Receberão cuidados de profissionais, receberão atenção, carinho, orientação, educação e tratamento psicológico. E ficarão esperando até que sejam adotadas.

Os laços criados no abrigo entre as crianças, entre elas e os profissionais, é sincero e verdadeiro, mas possuem a característica de serem transitórios. Os profissionais podem ir trabalhar em outros lugares e as crianças saem para fazer parte de famílias. O movimento de entrada e saída é frequente e por isso é preciso aprender a lidar com o desapego e com o distanciamento.

Contudo percebemos que a história desses pequenos já vem marcada pela rejeição e pelo abandono, traz muito sofrimento e insegurança. Toda essa história fará parte da formação desses sujeitos. Quem se dispõem a adotar precisa estar preparado pra tudo isso.

O processo de adoção é criterioso, constituído de muitas etapas, muitas avaliações e muita burocracia. É um processo em que se busca ter certeza de que essa criança não será novamente abandonada e nem mal tratada. Existe um período de escolha (entre os membros da família) e de adaptação. Por vezes moroso demasiadamente, desgastante e sofrido para ambas as partes. Muitas pessoas chegam a desistir dessa opção diante de tamanha dificuldade. Encontrando outras formas legais ou não para realizar o desejo de ser pai ou mãe.

Em meio a todo esse processo é preciso cuidar das expectativas de quem adota e de quem será adotado, cuidar da construção desse afeto e do nascimento desse amor. Cuidar da forma como se dará a inserção da criança no convívio com a família ampliada (tios, primos, avós, etc), a inserção no contexto social (escola, amigos, festas, etc) e se tudo está ocorrendo de forma saudável, com aceitação e pertencimento.

A adoção é a possibilidade de virar o jogo, é o outro lado da moeda. É a possibilidade de acolher, incluir, de ser amado, de ser cuidado. É a chance de fazer parte de uma família, de se constituir alguém importante para o outro.

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Caminhar faz bem a alma

O ato de caminhar tem sido considerado uma atividade física aeróbica, sua prática auxilia na melhora do metabolismo, emagrecimento …

Dia do Sexo: 6/9

Tem gente que faz amor Tem gente que faz sexo sem amor Tem sexo com carinho Tem sexo selvagem   Sexo é vida Sexo é …

Quem conhece mais histórias, a TV ou o contador de histórias?

“Um antropólogo estava fazendo uma pesquisa com uma tribo africana quando lá chegou o primeiro aparelho de televisão. …