Artigos e Publicações

Suicídio

A definição de suicídio é dar fim a própria vida.

Esse tema é cercado de preconceito. As pessoas evitam dizer essa palavra. As famílias omitem esses acontecimentos e contam sobre essa morte por outros aspectos, ou dizem apenas que foi um acidente.

O suicídio acaba deixando uma marca para os familiares, muitas vezes remorso ou culpa. Em geral os familiares e amigos não sabem lidar com a escolha que a pessoa fez.

Essa, em geral, é a última alternativa cogitada. Quando a pessoa já tentou várias outras soluções sem sucesso. É a única forma de se ver livre da angústia profunda, do vazio, do sofrimento ou do desespero.

A vida deixa de apesentar atrativos que sejam suficientes à existência do sujeito, que justifiquem lutar por ela, enfrentar dificuldades e manter a esperança de apenas se sentir bem.

Alguns fatores podem elevar o risco de suicídio. Uma rotina extremamente estressante, que gere preocupação, pressão constante, fadiga, não ter tempo para descanso ou lazer. Esse ritmo pode causar desgaste emocional e algum nível de desequilíbrio psicológico. Não há uma norma para as consequências, porém podem ocorrer crises de ansiedade, transtorno de pânico, isolamento, depressão ou o desejo de morrer, como uma fuga deste ciclo.

Desordens psiquiátricas, abuso de drogas, conflitos morais, familiares e sexuais, e ainda rompimento de relacionamentos e a descoberta de doenças crônicas podem ser motivos que levem alguém a pensar sobre suicídio, e em alguns casos cometê-lo.

É possível contribuirmos para a redução dos casos de suicídio. Recentemente uma campanha no facebook vem mobilizando pessoas dispostas a falar sobre isso.

Setembro foi consagrado como o mês internacional da prevenção ao suicídio. Conhecido como SETEMBRO AMARELO.

Familiares e amigos, fiquem atentos quando a pessoa estiver isolada demais, cabisbaixa, apática, calada, procure saber o que está acontecendo, escute, acolha, compreenda. Não trate a questão como se não fosse importante.

Quem precisa de tratamento médico tem que ficar atento às doses, às alterações que podem ocorrer com a mudança na medicação. Evitar a proximidade com armas de fogo, objetos cortantes, fluidos inflamáveis e construções que favoreçam a defenestração (ato de atirar para fora) como pontes, prédios sem telas ou grades.

Suicídio tem nome, pode e deve ser dito.

Falar é a melhor solução.

 

Centro de Valorização da Vida ligue 141 ou acesse www.cvv.org.br

Write a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Caminhar faz bem a alma

O ato de caminhar tem sido considerado uma atividade física aeróbica, sua prática auxilia na melhora do metabolismo, emagrecimento …

Dia do Sexo: 6/9

Tem gente que faz amor Tem gente que faz sexo sem amor Tem sexo com carinho Tem sexo selvagem   Sexo é vida Sexo é …

Quem conhece mais histórias, a TV ou o contador de histórias?

“Um antropólogo estava fazendo uma pesquisa com uma tribo africana quando lá chegou o primeiro aparelho de televisão. …